Ilustrando os astros, (parte 1/3)

Eu sempre quis fazer ilustrações do zodíaco mas nunca tive tanto impulso e vontade para fazê-las, então 2017 chegou com Saturno incentivando praticar as novidades em todos os campos da vida e eu comecei, um pouco tímida, a botar esse plano em andamento.

Continuar lendo

Anúncios

Mulher, seu trabalho não é perdoar

Eu, tu, elas

por Natália Martins | imagem de capa: Henn Kim

Às vezes a gente termina o dia se sentindo ridícula enfiando comida goela abaixo e stalkeando até a décima sétima geração daquela decepção em volta do pau que cruzou nossa vida. Que a gente jurou ser diferente. Que levamos de trambolho pra balada e apresentamos pras amigas.

86aed1b1ddb9be63828be9f876b5c740 Créditos: Henn Kim

Às vezes a gente fica se sentindo do tamanho de um átomo por ter corrido atrás do ônibus que foi embora do ponto sem esperar. Ou se olha pelada no espelho antes do banho e sente vergonha de si mesma. E levanta os braços pra ver como o peito daria mais orgulho caso fosse durinho que nem os do pornozão.

Às vezes a gente tá passando por um período desanimador em que nada parece andar pra frente porque ainda estamos presas demais ao passado. Às vezes a gente coloca músicas de…

Ver o post original 392 mais palavras

Quando você para de tomar anticoncepcional.

Vim aqui falar sobre minha experiência com o tão famigerado anticoncepcional. Decidi fazer isso mais pelas informações que não encontrei em nenhum lugar do mundo e pelas quais eu tive que passar às cegas, experiências que me deixaram insegura e paranóica e que eu não gostaria que nenhuma outra mulher jamais tivesse que enfrentar sozinha. Acho interessante salientar que nesse post eu não vou falar sobre como funciona um anticoncepcional porque isso você consegue achar facilmente na internet e meu foco aqui é dar atenção àqueles pequenos detalhes que ninguém te conta, tornando-os tão importantes quanto todo o restante do conteúdo.

Continuar lendo

Meus podcasts favoritos

Sem dúvida o que eu mais gosto de fazer no meu tempo livre é ouvir podcasts. Desde 2013 eu tenho esse hábito e preencho minhas horas mortas com informação de qualidade ou não. Um costume que carrego desde criança, ouvindo rádio (sim, eu ouvia rádio quando mais nova), mas os comerciais e a programação, que geralmente é impossível de acompanhar, foram os que me fizeram abandonar esses momentos tão analógicos.

Continuar lendo